Sofrida Bipolaridade.

Na minha cabeça ressoavam destoadas vozes, cruzando umas por cima das outras, confusas, desesperadas.

Não conseguia concluir nenhuma das linhas de raciocínio, atordoadas. Diaramente elas me chacoalhavam em vão. Insistiam em voltar, coloridas ou desbotadas com o tempo, as lembranças consumiam minhas energias, o flashback me iludia. Alimentava.

Dei as costas a tudo que me remetia você e essa vociferação que tanto me machucava.

Precisava conseguir voltar naquele lugar onde começava o silêncio. Eu estava exausta de não conseguir mais escutar o que eu mesma queria. Encontrei sussego em um lugar escuro, frio, incrivelmente distante, mas não retrocedi meus passos.

Acordei vazia. Não existia mais nada em mim que ainda pudesse pertencer à você. Nada em você despertaria aquela inquietante adoração.

Chorei, chorei.

Lutei. Enfrentei. Superei.

Meus pés me levam a novos destinos.

Minha memória já não sabe desenhar seu rosto.

@kikinha

Anúncios

1 comentário

Arquivado em itskika's files!

Uma resposta para “Sofrida Bipolaridade.

  1. Noites mal dormidas, boca seca, suor frio, unhas roídas. A cabeça flutuante é um perigo kikinha. A cabeça confusa é o ingrediente principal da receita de um dia duro; é o primeiro passo para desentendimentos e ficamos propensos a erros. Embora eu corra esses riscos, quando estou com a cabeça pesada produzo muito mais em termos literários… Tento converter essa dor e o próprio dualismo em arte, seja escrita ou desenhada. Kikinha, minha linda amiga, quero muito mais ler essas tags thoughts, ein?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s